terça-feira, 20 de novembro de 2012

IV Seminário do Grupo de Estudos Audiovisuais trata das narrativas interativas nos meios digitais


IV Seminário do Grupo de Estudos Audiovisuais trata das narrativas interativas nos meios digitaisPalestra ministrada por Rodrigo Cerqueira tratou principalmente das filmagens em 360º
Para Rodrigo Cerqueira, as produções em 360º nos permite ver o mundo como ele realmente é
[06-11-2012] 
Com o tema “Narrativas interativas em meios digitais”, o IV Seminário do Grupo de Estudos Audiovisuais (GEA) teve início na manhã desta terça-feira. A palestra dessa manhã, realizada na Central de Salas, foi ministrada pelo especialista em mídias digitais e interativas, Rodrigo Cerqueira. A sessão de abertura foi feita pela líder do GEA, a profª drª Ana Sílvia Lopes Médola.

Rodrigo é diretor comercial e estratégico da Yellowbird Brasil. Atualmente ele trabalha com vídeo 360º, mapeamento urbano e serviços de GIS (Geospatial Information Service Street View - Google). O outro palestrante seria, inicialmente, Filipe Gontijo, um dos fundadores da TV Universitária de Brasília (UnbTV). No entanto, por motivos profissionais, Gontijo não pôde comparecer ao evento.

Na sua apresentação, Rodrigo expôs um pouco sobre a história da representação de um fato através de uma imagem, evoluindo esse raciocínio pouco a pouco. A evolução do desenho foi se dando até que “conseguiram transformar uma imagem em uma peça de dramaturgia”, afirmou. Caminhando até o cenário atual, Rodrigo explicou também a passagem do teatro para a tela. Segundo ele, “a conexão entre as pessoas e a tela revolucionou nossa história”.

Finalmente, o especialista em mídias digitas e interativas chegou ao quadro atual em que ele próprio trabalho: a filmagem de cenas em 360º. Integrante da Yellowbird, empresa que realiza esse tipo de trabalho, Rodrigo mostrou um pouco dos trabalhos recentes, como a produção de um vídeo promocional do Rio de Janeiro. Sobre o cenário que a câmera 360º permite, Rodrigo enfatizou: “o que a gente tem agora com as imagens em 360º é a chance de ver o mundo como ele realmente é”.

Por fim, o diretor comercial e estratégico da Yellowbird Brasil ainda destacou algumas das possibilidades futuras da imagem em 360º. Segundo o palestrante, entre elas, os filmes tradicionais integrados com vídeo esférico e o Surroung Video Broadcast são alguns desses exemplos. Rodrigo ainda acrescentou que, para o sucesso dessa tecnologia, “precisamos de mais pessoas pensando nas produções em 360”, e que é sim possível a transmissão ao vivo em 360º, como sua empresa realizou durante o Skol Sensations.
A líder do GEA, Ana Silvia Médola, destacou outras possibilidades deixadas pelas imagens em 360º. Para Ana Silvia, “nós da comunicação temos o costume de esperar para as coisas acontecerem e somente depois criticar. Nós temos de mudar isso”. Para a professora, “a câmera 360º pode ajudar o telejornalismo, por exemplo, que ultimamente tem sofrido mudanças bem modestas”. Ana Silvia ainda acrescentou que “devemos refletir como essas novas formas interferem no nosso modo de vida”.

Com o fim da palestra, a primeira parte do IV Seminário do GEA terminou. Durante a tarde, também na Central de Salas, o evento contou com a apresentação de trabalhos do GEA.

Fonte: ACI/FAAC-Unesp 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Espólio de Marx: crítica da economia política e cibercultura.

Apresentação do texto do livro As Teorias da cibercultura - Francisco Rudiger - Apresentação 6 - dia 21-11-2011 - O Espólio de Marx: crítica da economia política e cibercultura. apresentação: Glauco Toledo.



terça-feira, 1 de novembro de 2011

A TV Unesp inicia suas transmissões...



A TV Unesp inicia suas transmissões em caráter experimental para a cidade de Bauru neste dia 04 de novembro de 2011, próxima sexta-feira, a partir das 20h00, pelo canal 45 em UHF.

Com geração de conteúdos próprios em HDTV e retransmissão do Canal Futura, os telespectadores passam a contar com uma nova opção de programas culturais e educativos em sinal aberto para o município de Bauru e também pela rede mundial de computadores. Os internautas podem acompanhar a exibição dos programas em tempo real ou por demanda acessando o site www.tv.unesp.br, ou no canal da TV Unesp no You Tube,www.tv.unesp.br/videos

A estreia do programa de entrevistas “Fórum” marca o início das transmissões tendo como convidado o Reitor da Unesp , Julio Cezar Durigan, que fala sobre os 35 anos da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”.

A inauguração oficial da TV Unesp ocorerrá no início de 2012

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Reunião GEA-UNESP - 17-10-2011

Apresentação do texto do livro As Teorias da cibercultura - Francisco Rudiger - Apresentação - dia 17-10-2011 - O Ocidente e a técnica: estágios reflexivos do pensamento tecnológico.
Tatiana Zuardi USHINOHAMA

terça-feira, 27 de setembro de 2011

A cibercultura e a polêmica sobre a cultura e a técnica na era das massas: populistas, conservadores e criticistas - FRANCISCO RUDIGER

Vídeo da transmissão ao vivo da apresentação sobre o livro As teorias da Cibercultura - Francisco Rudiger - Primeiro Capítulo: A cibercultura e a polêmica sobre a cultura e a técnica na era das massas: populistas, conservadores e criticistas, apresentado pela aluna Sarah Moralejo.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Lost: Interação e Frustração - Glauco Madeira de Toledo

Lost: Interação e Frustração - Glauco Madeira de Toledo - 29-08-2011






segunda-feira, 7 de setembro de 2009

De qual informação precisamos?


O vídeo abaixo já foi bastante visto, mas vale a pena postar. E você, acredita no valor da informação?





ósculos e amplexos
Lauro Teixeira

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

E se tudo fosse touch screen?

Já pensou se voce tivesse o poder de interagir com o mundo?
Veja esse vídeo da HP



quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O preço da TV Digital?

Quanto custa ter TV Interativa no Brasil? 

Recentemente li uma reportagem sobre o "potencial da interatividade no Brasil". Foi interessante perceber que o ponto de vista que permanece sobre o termo "interatividade" reflete interesses econômicos sobre uma platafora de mediação técnica. 

Por outro lado, ainda que sempre tivemos "interação" na tevê, a tal "interatividade", de fato, não decolou. Resolvido o problema com Java (que agora se baseia no pacote da Sun), o Ginga está pronto, com os padrões técnicos espeficicados. Parece que o que falta é uma conjunção de fatores que estimulem a disseminação. 

Por parte do governo, falta os conversores terem a mesma isenção que os computadores já têm (afinal, são computadores também). Por parte dos radiodifusores, falta estimularem um pouco mais a adesão de seu público à nova televisão interativa (afinal, é televisão também).

É isso!
ósculos e amplexos
Lauro Teixeira

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

O Marketing do Futuro

O Marketing do Futuro

Amigos,

Depois de ouvir presencialmente o profeta Silvio Meira, voltei o interesse àquilo que fazia bastante: pesquisar o futuro.
Eis que cai no meu colo um texto profético do Walter Longo. Ele acredita que o futuro está em um tripe sustentado por informação, entretenimento e interatividade.
Apesar de achar que esse tripé sempre existiu, vale a pena ler o texto do cara.

Ele não bota muita fé na TV Digital.
"Eu acho que a TV digital chegou dez anos atrasada ao Brasil para criar o hábito. Quando estão na frente da televisão, as pessoas preferem interagir com a geladeira. Já quando estão na frente do computador, elas gostam de interagir com ele e vêm aprendendo a fazer isso cada vez mais rápido."
Caramba, até ele! Será que só eu ainda acredto em televisão por aqui?

obs: o texto é dica da amiga Carol Gregório do depto de marketing da Globo

ósculos e amplexos
Lauro Teixeira

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Mais blablablá de semicondutores e TV digital



Discussões sobre as decisões do governo sobre o projeto de Rádio e TV Digital no Brasil continuam dando pano pra manga, vejam a resposta que Ethevaldo Siqueira obteve depois de publicar mais um "doce" artigo no Estadão sobre TV Digital.


"1. O artigo O BlaBlaBlá dos Semicondutores e da TV Digital, do sr. Ethevaldo Siqueira, publicado dia 20-07-08, comete uma série de equívocos e desinforma mais uma vez o leitor. Em primeiro lugar mostra que o colunista não lê o próprio jornal no qual escreve. Ele afirmou que o ministro das Comunicações criou falsa expectativa de set-up boxes a R$ 200. Na semana anterior à coluna, foi lançado em São Paulo o set-up box a R$ 199,00, inclusive com cobertura desse veículo.
2. Afirma ainda que o projeto da TV Digital não teve ?muita sintonia entre governo, emissoras, universidade e indústria?. Ora, foram 1.200 cientistas e professores de mais de 100 instituições de ensino que participaram do desenvolvimento, como a USP, Universidade Mackenzie e UFMG. As emissoras participaram ativamente assim como a indústria. O comitê executivo foi composto por 11 ministros. Onde está a falta de sintonia?
3. Sobre as outras vantagens que o colunista diz não se concretizarem, vamos aos fatos: passados sete meses do lançamento estão disponíveis a alta definição, a portabilidade nos celulares e a mobilidade.
A interatividade está pronta, faltam pequenos acertos relativos ao uso de direitos autorais.
4. A incoerência do colunista confunde o leitor, porque ao mesmo tempo desqualifica e elogia a TV Digital: ?Não me surpreendo com o atual estágio da TV digital. No começo é assim mesmo...?; ?Nenhum país poderia fazer melhor, no mesmo período, nas mesmas condições?.
5. O processo de implantação da TV Digital requer tempo e esforço continuado, tanto que a implantação prevê 10 anos para completar a transição. Ainda assim estamos avançando o cronograma estabelecido: SP, RJ e BH lançaram a operação com mais de um ano de antecedência.
6. Sobre a fábrica de semicondutores: após a falência desta indústria no Brasil nos últimos 20 anos, o atual governo está recuperando o tempo com investimentos de R$ 400 milhões em iniciativas como: criação de incentivos fiscais; desenvolvimento tecnológico e formação de técnicos. O objetivo não é só atrair investimentos japoneses, mas de todo o mundo.
7. Por fim, sobre o rádio digital vamos adotar o sistema que melhor atenda ao País. Temos que fazer a digitalização na mesma freqüência em que operam o sistema analógico e as faixas FM e AM. Tomaremos a decisão baseada nas pesquisas feitas pelo Mackenzie, Abert e Anatel.
8. Se o sr. Siqueira nos procurasse, o que nunca aconteceu, faríamos todos os esclarecimentos. Quem perde é o leitor desse tradicional veículo que todos nós admiramos e respeitamos."



Veja agora a resposta do Ethevaldo Siqueira



"Vejamos de quem são os equívocos:
1)O zeloso assessor sabe que o set-top box de R$ 199 anunciado não decodifica sinais de alta definição - mas só standard definition. E pior: o produto ainda não chegou às lojas. Faltam agora os mais baratos, abaixo de R$ 150, prometidos pelo ministro.
2) Três exemplos de falta de sintonia: a) Mesmo com um comitê de 11 ministros, o trabalho de pesquisa foi atrasado mais de uma vez, por falta de liberação de recursos; b) A indústria não recebeu em tempo hábil as especificações completas para a fabricação dos set-top boxes. c) Até hoje, o middleware Ginga, essencial para a interatividade, não está disponível. E pior: quem quiser interatividade no futuro terá que gingar, comprando novos set-top boxes.
3) Para o assessor, tudo está pronto, mas nada funciona. Interatividade é futuro. No caso do celular, só há nas lojas três modelos de celulares capazes de receber imagens de TV digital no padrão ISDB.
Mesmo assim, não existem acordos entre operadoras e emissoras nem definição do modelo de negócios.
4) O artigo não contém nenhuma incoerência nem elogio ao projeto. Afirma, isto sim, que no mesmo período, nenhum país faria melhor se tivesse que implantar a TV digital, nas mesmas condições que o Brasil, isto é, diante de expectativas irrealistas e de um projeto tão mal coordenado.
5) O assessor reconhece: "o processo de implantação da TV digital requer tempo e esforço continuado" - mas com seriedade e profissionalismo.
6) Continuamos cobrando a instalação da indústria de semicondutores no País, que o ministro Hélio Costa disse, várias vezes, ser compromisso japonês, em contrapartida à escolha do padrão ISDB pelo Brasil. Na verdade, esse compromisso nunca existiu.
7) O ministro Hélio Costa tem anunciado sua preferência pelo padrão de rádio digital HD Radio (Iboc), tecnologia que ainda tem sérias limitações. Mais grave ainda é o fato de o ministro das Comunicações sugerir que o Brasil faça parceria com a Ibiquity, a empresa americana dona da tecnologia, para que ela se instale no País com apoio do BNDES. Tudo isso antes dos resultados das "pesquisas do Mackenzie, da Abert e da Anatel".
8) Diante de tantos equívocos do assessor, fica claro por que não o procuramos: exatamente para informar corretamente nossos leitores.
Com esta resposta damos o assunto por encerrado."



Pois é, será podemos dar o assunto por encerrado? Aguardem o próximo capítulo...
ósculos e amplexos
Lauro Teixeira

domingo, 10 de agosto de 2008

OfCom - Digital Television Update - 2008


Pessoal,
Saiu a pouco do forno o último relatório de pesquisa da OfCom sobre a TV Digital no Reino Unido. Nele é possível conferir a quantas anda o crecimento da TV Digital de lá até o primeiro trimestre de 2008.

Confiram http://www.ofcom.org.uk/research/tv/reports/dtv/dtu_2008_q1/

abraço
Lauro Teixeira

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Crossmedia !!!

Replicando aqui o que foi publicado no Blog do Tuca, (deste humilde blog-escriba que vos posta):

"Nome Próprio" é o filme de Murilo Salles que terá pré-estréia gratuita no dia 13 de julho para usuários do My Space onde o filme tem um perfil e onde também será divulgado o local e horário da sessão. Os felizardos ainda levarão de lambuja a presença do diretor e da atriz principal, Leandra Leal. E o uso da web não pára por aí... Além do My Space, existe o Blog do Filme, uma galeria no Flickr, perfil no Orkut, Facebook, Twitter, Youtube, Fotolog (onde é diviulgado um concurso de trailers produzidos pelo público) ... Ufa !!! O pessoal fez barba e cabelo e com certeza o marketing mira o público jovem usuário da web. Segundo a Folha, "Nome Próprio" é uma livre adaptação cinematográfica dos livros "Máquina de Pinball" e "Vida de Gato", de Clarah Averbuck, e de seus textos publicados na internet, no site e no seu blog pessoal. O longa-metragem estréia dia 18 de julho nos cinemas." Como pode-se notar, a forma de divulgação tem muito a ver com o enredo da película. Abaixo o teaser oficial do filme tirado do My Space, onde tem muito mais coisas.

Teaser Oficial de "Nome Próprio"